PESQUISE EM NOSSOS POSTS

Sin City

SIN CITY

RECOMENDO...

O SOL SAIU!


Recebi o texto abaixo por e-mail, como sendo "E-mail de um morador de Itajaí/SC - Assunto: O sol saiu!!". A pessoa que me enviou é conhecida e, o conteudo do texto legítimo, mesmo que não tenha sido escrito por um morador de SC. Boa leitura!

Meus amigos,

Hoje 27 de novembro de 2008 o sol saiu e conseguimos voltar a trabalhar. A despeito de brincadeiras e comentários espirituosos normais sobre esta "folga forçada" a verdade é que nunca me senti tão feliz de voltar ao trabalho. Não somente pelo trabalho, pela instituição e pela própria tranqüilidade de ter aonde ganhar o pão,
mas também por ser um sinal de que a vida está voltando ao normal aqui na nossa Itajaí.

As fotos que circulam na internet e os telejornais já nos dão as imagens claras de tudo que aconteceu então não vou me estender narrando e descrevendo as cenas vistas nestes dias. Todos vocês já sabem de cor. Eu quero mesmo é falar sobre lições aprendidas.

Por mais que teorias e leituras mil nos falem sobre isso ainda é surpreendente presenciar como uma tragédia desse porte pode fazer aflorar no ser humano os sentimentos mais nobres e os seus instintos mais primitivos. As cenas e situações vividas neste final de semana prolongado em Itajaí nos fizeram chorar de alegria, raiva, tristeza e impotência. Fizeram-nos perder a fé no ser humano num segundo, para recuperar-la no seguinte. Fez-nos ver que sempre alguém se aproveitará da desgraça alheia, mas que também é mais fácil começar de novo quando todos se dão as mãos.

Que DEUS tenha piedade daqueles:

- Que aproveitaram a situação para fazer saques em Supermercados, levando principalmente bebidas e cigarros

- Que saquearam uma farmácia levando medicamentos controlados, equipamentos e cofres e destruindo os produtos de primeira necessidade que ficaram assim como a estrutura física da mesma.

- Que pediam 5 reais por um litro de água mineral.

- Que chegaram a pedir 150 reais por um botijão de gás.

- Que foram pedir donativos de água e alimentos nas áreas secas pra vender nas áreas alagadas.

- Que foram comer e pegar roupas nos centros de triagem mesmo não tendo suas casas atingidas.

- Que esperaram as pessoas saírem das suas casas para roubarem o que restava.

- Que fizeram pessoas dormir em telhados e lajes com frio e fome para não ter suas casas saqueadas.

- Que não sentiram preocupação por ninguém, algo está errado em seu coração.

- Que simplesmente fizeram de conta que nada acontecia, por estarem em áreas secas.

Da mesma forma, que DEUS abençoe:

- Aqueles que atenderam ao chamado das rádios e se apresentaram no domingo no quartel dos bombeiros para ajudar de qualquer forma.

- Os bombeiros que tiveram paciência com a gente no quartel para nos instruir e nos orientar nas atividades que devíamos desenvolver.

- A turma das lanchas, os donos das lanchinhas de pescarias de fim de semana que rapidamente trouxeram seus barquinhos nas suas carretas e fizeram tanta diferença.

- À equipe da lancha, gente sensacional que parecia que nos conhecíamos de toda uma vida.

- Aos soldados do exército do Paraná e do Rio Grande do Sul.

- Aos bravos gaúchos, tantas vezes vitimas de nossas brincadeiras que trouxeram caminhões e caminhões de mantimentos.

- Aos cadetes da Academia da Polícia Militar que ainda em formação se portaram com veteranos.

- Aos Bombeiros e Policias locais que resgataram, cuidaram, orientaram e auxiliaram de todas as formas, muitas vezes com as suas próprias casas embaixo das águas.

- Aos Médicos Voluntários.

- Às enfermeiras Voluntárias.

- Aos bombeiros do Paraná que trabalharam ombro a ombro com os nossos.

- Aos Helicópteros da Aeronáutica e Exercito que fizeram os resgates nos locais de difícil acesso.

- Aos incansáveis do SAMU e das ambulâncias em geral, que não tiveram tempo nem pra respirar.

- Ao pessoal do Helicóptero da Polícia Militar de São Paulo, que mostrou que longo é o braço da solidariedade.

- Ao pessoal das rádios que manteve a população informada e manteve a esperança de quem estava isolado em casa.

- Aos estudantes que emprestaram seus físicos para carregar e descarregar caminhões nos centros de triagem.

- Às pessoas que cozinharam para milhares de estranhos.

- Ao empresário que não se identificou e entregou mais de mil marmitex no centro de triagem.

- A todos que doaram nem que seja uma peça de roupa.

- A todos que serviram nem que seja um copo de água a quem precisou.

- A todos que oraram por todos.

- Ao Brasil todo, que chorou nossos mortos e nossas perdas.

- Aos novos amigos que fiz no centro de triagem, na segunda-feira.

- A todos aqueles que me ligaram preocupados com a gente.

- A todos aqueles que ainda se preocupam por alguém.

- A todos aqueles que fizeram algo, mas eu não soube ou esqueci.

Há alguns anos, numa grande enchente na Argentina um anônimo escreveu isto:

COMEÇAR DE NOVO

Eu tinha medo da escuridão

Até que as noites se fizeram longas e sem luz

Eu não resistia ao frio facilmente

Até passar a noite molhado numa laje

Eu tinha medo dos mortos

Até ter que dormir num cemitério

Eu tinha rejeição por quem era de Buenos Aires

Até que me deram abrigo e alimento

Eu tinha aversão a Judeus

Até darem remédios aos meus filhos

Eu adorava exibir a minha nova jaqueta

Até dar ela a um garoto com hipotermia

Eu escolhia cuidadosamente a minha comida

Até que tive fome

Eu desconfiava da pele escura

Até que um braço forte me tirou da água

Eu achava que tinha visto muita coisa

Até ver meu povo perambulando sem rumo pelas ruas

Eu não gostava do cachorro do meu vizinho

Até naquela noite eu o ouvir ganir até se afogar

Eu não lembrava os idosos

Até participar dos resgates

Eu não sabia cozinhar

Até ter na minha frente uma panela com arroz e crianças com fome

Eu achava que a minha casa era mais importante que as outras

Até ver todas cobertas pelas águas

Eu tinha orgulho do meu nome e sobrenome

Até a gente se tornar todos seres anônimos

Eu não ouvia rádio

Até ser ela que manteve a minha energia

Eu criticava a bagunça dos estudantes

Até que eles, às centenas, me estenderam suas mãos solidárias

Eu tinha segurança absoluta de como seriam meus próximos anos

Agora nem tanto

Eu vivia numa comunidade com uma classe política

Mas agora espero que a correnteza tenha levado embora

Eu não lembrava o nome de todos os estados

Agora guardo cada um no coração

Eu não tinha boa memória

Talvez por isso eu não lembre de todo mundo

Mas terei mesmo assim o que me resta de vida para agradecer a todos

Eu não te conhecia

Agora você é meu irmão

Tínhamos um rio

Agora somos parte dele

É de manhã, já saiu o sol e não faz tanto frio

Graças a Deus

Vamos começar de novo.

Anônimo



É hora de recomeçar, e talvez seja hora de recomeçar não só materialmente. Talvez seja uma boa oportunidade de renascer, de se reinventar e de crescer como ser humano.

Pelo menos é a minha hora, acredito.

Que Deus abençoe a todos.

Luis Fernando Gigena

EXPERIMENTE O DIFERENTE II - ERRANTE OU PEREGRINO?


ERRANTE OU PEREGRINO?

Situação pior de quem não conhece a Cristo, é a situação de quem um dia “o conheceu”, mas optou por viver longe dele.

O que eu chamaria de ERRANTE. O que caminha sem propósito, simplesmente espera a vida passar... Segundo o Aurélio: “o que erra, vagueia, nômade.

Como Sansão, preso a moinha nos últimos anos de sua vida. Juizes 16.21
Como o povo peregrinando no deserto por 40 anos. Toda uma geração apenas esperando pela morte. Êxodo 16.35

O convite de Paulo é para uma PEREGRINAÇÃO.

12. 1 - ...PORTANTO, por causa da grande misericórdia...
Por Deus ser quem é;
Pela consciência de que somos devedores;

12.1.b - ... OFEREÇAM,
Vivam em santidade.
Vivam com a prática de boas obras;
Vivam como “sacrifício vivo”; como quem deixa de se pertencer;

NOSSA VIDA É CORRETAMENTE ORDENADA QUANDO REGULAMOS ESTE AUTO-SACRIFICIO DE ACORDO COM A VONTADE DE DEUS.

12.1.C – Muito mais que nosso corpo físico apenas!
Nossa Plenitude Existencial, nossa personalidade (os membros de nosso corpo são instrumentos pelos quais executamos nossos propósitos). Muito mais que argumentação filosófica pra bom comportamento. Coisa que não tem raiz.

12.2 ... Não vivam como vivem as pessoas desse mundo...
E como elas vivem?

DESCRENTES.
Uma sociedade cética. Indiferente as preocupações de natureza transcendental.

O homem moderno é menos religioso. No Censo de 2000, 12,5milhões de pessoas se declararam sem religião.

Provavelmente influencia do dinheiro e do bem estar; influencia da mídia, influencia das escolas secundaristas e cursos superiores, enfim...

É mais descrente porque aprendeu a viver bem sem Deus e dele não precisa!

PLURALISTA
A preocupação de Paulo nessa fala é porque nosso modo de sentir, pensar e agir tende a acompanhar a sociedade que vivemos. Ao ponto de que se quisermos ser normais nessa sociedade teremos de nos deixar secularizar.

Homem moderno que é CIDADÃO DO MUNDO – não tem Pátria, sendo de todos não pertence a ninguém!
Homem moderno que vive numa sociedade-supermercado – sob o império das diferenças, conformou-se ao habito de escolher nas prateleiras da vida.
Consumidor e consumista;
Volúvel – não resiste a uma oferta, uma promoção, uma novidade
Superficial- como uma borboleta, esta sempre de passagem para a próxima flor;
Hedonista – sempre o critério de escolha é o prazer pessoal, intimo e intransferível!
Iconoclasta – Não respeita as tradições. Nada lhe parece digno de culto ou reverencia.

O homem moderno, numa sociedade pluralista, acredita que não deve satisfação a ninguém, não precisa agüentar ninguém, não aceita intromissões, não deseja relações profundas ou duradouras.

É no PIOR SENTIDO, LIVRE, LEVE E SOLTA – na verdade ela é órfã!

MIDIÁTICA
Um mundo que se familiarizou com a Internet e, questiona toda informação que não possua comprovação de credibilidade.
Desconfiados... onde o relacionamento está a um “click”.
Onde os vínculos são efêmeros.

DOENTE
Goethe em 1806, escreveu a história de FAUSTO.

Ela retrata a vida de um médico e intlectual alemão, que entendiado e desiludido com o conhecimento que não lhe deu significado, e com a vida que não tinha mais sentido, faz um pacto com o demônio.

Mefistófeles, se oferece para atender todos os seus desejos e vontades. Então ele se entrega aos prazeres nos vinte e quatro anos que fica sem envelhecer, em virtude do pacto que fizera, assinado com seu próprio sangue. No fim desse tempo, é levado para o inferno e a morte.

Essa história de Fausto é considerada um símbolo cultural da modernidade.

A busca obsessiva pela auto-realização tem levado o ser humano a pagar um peço muito alto para consegui-la.

Neste vale-tudo da satisfação imediata, as pessoas se entregam sem limites e sem controle:

Seja a dieta, ao sexo, ao consumo, a malhação...

Tudo é feito com intensidade, sem uso da razão ou do bom senso, e com um custo espiritual, emocional e físico muito elevado.

Corpo e alma são expostos a demônios modernos.

O nome dessa doença? PECADO.

... NÃO VOS CONFORMEIS A ESTE MUNDO...

Que desafio! O QUE PRECISA SER MUDADO?

1. A Prática de uma fé integra e bíblica.
Isso implica, não só acreditar nas promessas, mas nas exigências do evangelho.

2. A ênfase da nossa apologética.
Estudar a Bíblia com profundidade e critério, a fim de possuir e oferecer argumentos sólidos sobre a veracidade e relevância do cristianismo e da visão cristão sobre a vida.

3. Viver com coerência.
Coerência entre fé e conduta, lembrando que os exemplos valem mais que muitas palavras.

Precisamos de um renovado empenho em testemunhar nossa fé e nos mantermos relevantes no mundo.

Amém.

EXPERIMENTE O DIFERENTE - DISCIPULADO


UMA VELHA PROPOSTA DE DISCIPULADO

MATEUS 28.18-20. Texta da grande comissão. A grande tarefa. Registro de um encontro após a ressurreição de Jesus. Jesus está reunido com seus onze. Judas não estava mais com eles. Ali ele apresenta o que ficou conhecido como a grande comissão.
_____

Discipulado é uma pratica esquecida, negligenciada, posta de lado, perdida na história da igreja contemporânea. Tenho para mim e, aprendi isso com meus mestres: Discipulado é mal compreendido por grande parte das igrejas.

1. Confunde-se discipulado com doutrinação
Doutrinação: é ensinar as verdades da doutrina cristã.

Fazemos isso com Pratica pedagógica, ensinando princípios abstratos, verdades, conceitos, fazendo afirmações categóricas com versículos bíblicos que possam corroborar o que afirmamos e, verificamos se a pessoa entendeu.

Por exemplo: “Não há justo, nenhum se quer” - onde está isso na Bíblia?

O que significa a santificação? O que é a salvação? Pela fé ou pelas obras? Onde esta isso na bíblia? Tem base bíblica para esta firmação?

Daí se a pessoa souber, ela esta sendo bem discipulada. Se não souber responder precisa ser melhor discipulada. Porém, isso é ensinar verdades bíblicas.

2. Confundimos com treinamento.
Capacitar liderança. Ensinar as pessoas a dirigir grupo pequeno, envolver-se no serviço da igreja, ensinar a liderar uma reunião de oração ou uma classe de estudo. Ensinar a ministrar a ceia. Ensinar Princípios e Valores. Ensinar a atuar no ministério da igreja local. Aperfeiçoar pessoas.

Confundimos formação de liderança com discipulado. São coisas disitintas. Aliás, bem distintas!

3. Confundimos com formatação
Controle, formatação comportamental. Ensinar o que podem ou não fazer. Onde podem freqüentar.

Crente: Não bebe, não fuma, não joga, não faz sexo fora do casamento...
Crente vai na igreja no domingo, participa de pequeno grupo, evangeliza, crente paga direitinho as contas, não dá cheque sem fundo, não se envolve com fofoca.

Quando a pessoa se comporta direitinho, dentro de um determinado padrão aceitável, dizemos que ela está bem discipulada.

Caso contrario, começamos tudo de novo: “Você não entendeu nada ainda?”.

4. Confundimos com inserção religiosa.
A pessoa chega na igreja não canta nossas musicas, não tem nosso vocabulário, não sabe fazer oração, aliás, não quer orar em publico. “Por favor pastor não me peça para orar em voz alta!” A mão sua, tremedeira...

Então vamos inserindo as pessoas na vida religiosa: Vocabulário, maneira de fazer as coisas. Na adoração vê todo mundo fechando os olhos, daí, ela também fecha os olhos, timidamente começa a bater palmas... depois de um tempo ela sente-se em casa!

Vamos explicando a estrutura da igreja, qual organograma, grade de atividades, fóruns representativos, daqui a pouco elas estão formatadas religiosamente.

Daqui a pouco elas estão bem e integradas, daí falamos que o discipulado deu certo.

E o Batismo? Batismo é a porta de entrada para uma nova religião. A pessoa se converteu, daí agora tem uma nova religião;

O IBGE bate na porta: "- Religião? - Católico; Evangélico. Praticante ou não praticante?"

As pessoas confunde discipulado com religião, essa inserção religiosa.

Jesus aqui, até pelo entendimento dos apóstolos. Principalmente as palavras de Paulo, está dizendo que discipulado Não é nada disso:

Doutrinação - Treinamento - Formatação comportamental - Inserção religiosa

Mas, é o processo de aprender a viver. Mas, é ensinar a viver. Discipulado tem a ver com a vida.

“Não é ensinar tudo o que o Jesus ordenou”. Isso a gente faz com estudo bíblico, livro, cd, dvd, reunião estratégico, mensagem.

Isso não é discipulado.

Não basta dizer pra você o que Jesus quer que você faça. Eu preciso ensinar você a fazer, obedecer, o que Jesus quer que você faça.

Discipulado é: Ensinar guardar, obedecer o que Jesus ordenou. Ensinar a fazer o que Jesus quer que você faça. Isso diz respeito a vida. Reaprende a viver.

Há uma grande diferença. Discípulo de Jesus é aquele que reaprende a viver.

Novas prioridades, novos valores, novas compreensões da vida. Nova percepção de si mesmo, percepção de Deus, de como relacionar-se com Deus, o trabalho, tempo, dinheiro, corpo, vontade, sua vontade.

Discípulo de Jesus reaprende a viver do jeito de Jesus. Fazer discípulos é: Ensinar a viver como Cristo viveu.

A questão não é o quanto você sabe de doutrina, mas se você é justo nos seus negócios, solidário.

O que define sua identidade como pessoa? O que é impressindível para que você se sinta pessoa.

Forma física não é razão pra ser feliz ou não. O que define a personalidade não é a aparência física.

Fruto do espírito não é barriga, circunferência abdominal. É domínio próprio, bondade, generosidade.

Fruto do espírito não vai afetar sua aparência física, mas o brilho dos seus olhos com certeza vai.

Martin Luther King Jr, no seu famoso discurso, entre outras coisas disse:
“eu tenho um sonho: o dia em que o sol se levantara sobre a América e nossos filhos e netos serão valorizados e considerados dignos não pela cor d sua pele, mas pela grandeza de seu caráter”. Isso é o discurso de um discípulo.

Discipulado tem a ver com Conteúdos interiores da vida...

Inclusive a partir do batismo. Romanos 6.4 - Qual é o simbolismo do batismo?

Discipulado é aprender a viver essa nova vida: Filipenses 4.9
Por isso que não se faz discipulado de púlpito, dvd, tv e rádio... Isso tudo a gente divulga uma mensagem.

Discipulado a gente faz no choque da vida. Quando você sabe quem eu sou. Como é minha vida, como eu vivo, como é minha casa, meus valores, meu comportamento. Quando você conhece minha intimidade.

Quando você ouve o que eu falo e, vê como vivo: se isso faz sentido com minha vida. Ai então, estamos numa relação de discipulado.

II Timoteo 2. 1,2 - Esse é o processo do discipulado. A questão é como ensinamos os outros: É na vida publica. E, não só isso, mas No acompanhamento criterioso do dia a dia de quem fala. II Tm 3.10

Uma lupa nas mãos. Verifica o que eu falo, e verifica também minha conduta ao longo dos anos. Examina...

Mais que isso; “...as minhas intenções”... Quando a gente diz que não é possível saber as intenções... Paulo não concorda.

Ta nos olhos, ta na cara, isso se denuncia. Você não consegue enganar a todos o tempo todo. Cedo ou tarde a verdade aparece. Nada há escondido que não seja revelado. A verdade aparece. Aquilo que está no fundo do seu coração.

Por isso Paulo diz para Timóteo: você me conhece. Sabe como vivo no dia da festa e no dia do luto. Sabe como me comporto quando tenho muito e tenho pouco.

Mesma recomendação que ele dá para Tito. Tito 2.1

Homens: Controlar o copo, o garfo, a língua, a volúpia no trabalho, a ganância, o pavio curto.

Mulheres: Amar seus maridos.... (isso se faz cada vez mais necessário).

Sã doutrina não é saber direitinho sobre predestinação e livre arbítrio. Saber detalhes da justificação em Cristo... Mas é amor, prudência, domínio próprio.

Jovens: Prudência;

Escravos, trabalhadores: Dimensão da conduta profissional.
Discipulado é ensinar a viver. Fazer discipulado não é ensinar uma outra religião. Fazer discipulado é Ensinar uma outra maneira de viver

Como fazemos isso?

1. Vivendo. Vivendo a vida como a vida é, nos fóruns que a vida tem, nos contornos que ela obedece, com todas as contigencias que a vida oferece. O Ari é a pessoa que me ensinou a amar jesus de verdade. Aprendi com ele: “Não existe vida cristã. Existe a vida. Existe uma maneira cristã de viver a vida e, uma maneira não cristã de viver a vida, mas existe uma vida só!”. Como a gente faz discípulo? Vivendo.

2. Ensina a viver entrando em relação de intimidade com as pessoas. Não se faz isso a distancia. É uma pena, que os instrumentos de propagação da mensagem do evangelho tenham se tornado a fonte de alimentação espiritual da igreja de Jesus.

Vou lhe dizer uma coisa, e digo de coração e com tranqüila consciência, de alguém que gosta muito de ler: Você não amadurece espiritualmente com livros. Você não cresce lendo, não cresce ouvindo cd, voce não cresce comprando dvd de pregador famoso. Você pode inchar, engordar, até ficar confuso. Você não cresce. A gente só cresce no atrito da vida. Relacionamento.

Gosto da fala do Millor Fernandes: “Quão admiráveis as pessoas que não conhecemos bem”. Como são incríveis as pessoas que não conhecemos bem.

Hoje temos uma igreja que vive ao redor de seus gurus. Jesus jamais imaginou uma coisa dessas. Jamais. Jesus imaginou uma grande rede de relações afetivas. Gente se esbarrando, se encontrando, se trombando.

Porque só crescemos quando encontramos limites e, só encontramos limites nos relacionamentos. Só no relacionamento somos chamados para fora de nossa zona de conforto e, ai crescemos:

Só no relacionamento que eu preciso aprender a andar uma segunda milha, a perdoar, aprender a abrir mão das minhas vontades, meus desejos.

É onde preciso aprender a negociar opiniões, caminhos, projetos. Aprender a dividir, viver com menos, repartir.

É na relação pessoal que eu cresço. É em relações pessoas que sou confrontado. Que tenho oportunidade de mudança.

Ninguém cresce em relações virtuais. Internet pode ser um instrumento de Deus. Mas ultimamente e, mais frequentemente tem sido um instrumento do diabo.

Orkut é a revista CARAS dos pobres. Quer aparecer na CARAS e não aparece, daí monta uma página no Orkut. Mostra a casa, o cachorrinho, os filhos.

O que privativo, o que deveria ser resguardado fica escancarado. Todo mundo entra, todo mundo vê, dá palpite, dá conselho, dá opinião.

Isso é coisa do diabo. Isso não funciona. Não sei por que inventaram isso. Aliás, eu sei: inventaram para devassar sua vida.

Você não crescer em relacionamentos virtuais. Relacionamento virtual se encerra numa tecla. Relacionamento virtual é um convite a mentira e a falsidade. Um convite a superficialidade. Uma pagina de virtudes mentirosas, personalidades falsas, projetadas para serem aceitas e queridas.

E antes que você pense ai: “AH! mas você tem página no Orkut!”. Para ser coerente com o que ia te dizer hoje e com o que creio sobre discipulado. Eu cancelei meu “perfil”. Que também, me mostrava, muito mais incrível do que eu sou. Com uma foto dez anos mais novo na apresentação.

A gente só cresce no encontro do dia a dia. Olho no olho, carne, osso. A gente só cresce na madrugada da lagrima, necessidade do abraço. Convivência do limite do amigo, do outro. Na mesa, na conversa. No silencio que incomoda.

Batismo: eu vivia de um jeito e tive um encontro com Jesus.

Discipulado: aprender a viver como Jesus quer que vivamos. Processo continuo de andar como Cristo andou e viver como Cristo viveu.

Hebreus 13.7 - Uma grande aventura com Jesus. Só é possível mediante a ação do Espírito em nós. Discipular é aprender a viver. Exige, custa, mas é impagável. Nas palavras do querido Adhemar de Campos: “Não existe nada melhor, do que ser amigo de Deus. Caminhar seguro na luz”.

CLUBE DA LUTA: TERCEIRO ROUND


TERCEIRO ROUND: O SEGREDO DE RELACIONAMENTOS SOLIDOS


Efésios 6. 1 – 4

Não há nada que substitua a família. E pela família vale todo e qualquer esforço.

O mundo detesta tudo o que é sólido e durável. O mudo detesta o que dá trabalho. Têem aversão ao que é perene, definitivo. Chama a compromissos irrevogáveis. Nesse sentido o amor também é liquido. As relações são de consumo. O que manda é consumir e descartar!

É contra esta sociedade que lutamos para relacionamentos saudáveis em nossa família.
Como eu conseguirei relacionamentos saudáveis e duráveis, diante deste desafio enorme?

PERDÃO

É impossível criar um relacionamento durável sem perdão. Porque a pessoa que está do seu lado irá:

Magoa-lo;
Trair sua confiança;
Decepciona-lo;
Irrita-lo;

Enfim a pessoa que está ao seu lado irá fazer com você tudo o que um dia você já fez com ela. Igualzinho. E, não se trata aqui de vingança, revanchismo...

Trata-se de RELACIONAMENTO. E em relacionamentos, acontecem essas coisas mesmo.

Como diz o provérbio 27.17: “As pessoas aprendem umas com as outras, assim como o ferro afia o próprio ferro”.

Já viu um esmiril trabalhando? Então... é ilusão achar que todos os momentos da vida familiar serão de brandura.

E quantas vezes devo perdoar meu irmão? 7 vezes? Mateus 18.21; A pergunta do Pedro vai pra além da recomendação rabínica – 3 vezes.

A preocupação por trás da pergunta de Pedro tem sido sentida por todos aqueles que já foram ofendidos: POR QUE EU DEVO PERDOAR? E SE A OUTRA PESSOA NÃO MERECE PERDÃO?
PIOR, E SE ELA ME OFENDER DE NOVO?

O perdão é semelhante a um negocio arriscado.

Para Pedro, o perdão parece ser uma daquelas atividades das quais Jesus está sempre falando e, provavelmente, um belo ato espiritual, mas nem sempre dá certo pra quem vive num mundo real.

Eu imagino a reação de Pedro (que pensava em receber um elogio, mais que duplicando a recomendação rabínica!) e, Jesus lhe responde: 70 X 7!

Entendo que Jesus está afirmando que existem dois caminhos para conviver com a ofensa: o caminho da vingança e o caminho do perdão.

O PRIMEIRO LEVA A MORTE, O SEGUNDO À VIDA!

O perdão deve durar a vida inteira. Como a respiração.

O QUE O PERDÃO NÃO É?

Perdoar não é o mesmo que desculpar.

Desculpar é o que fazemos quando pensamos nas circunstâncias que justificam um comportamento:

Desculpamos um pai por dirigir rápido demais ao levar a esposa grávida para o hospital;

Desculpamos uma criança quando ela faz barulhos orgânicos em público;

Perdoar é diferente disso. Perdoar é para quando a desculpa não cabe. É mais que tolerar um mau comportamento.

Perdoar não é esquecer.

O Esquecimento necessita apenas de uma péssima memória! Perdoar é exatamente aquilo que é necessário quando não conseguimos esquecer.

Perdoar não é o mesmo que reconciliar.

Em geral, as pessoas pensam que perdoar significa reconciliar-se com alguém, independentemente do que ela tenha feito.

- esposa que é agredida pelo marido;
- empresário com o sócio desonesto;

Penso que perdão e reconciliação são duas coisas distintas.

O perdão é obediência e ocorre dentro do coração humano. Pode ser concedido mesmo que a outra pessoa não tenha pedido ou não mereça. É entregar o problema nas mãos de Deus.

A reconciliação exige que o ofensor esteja vivo e sinceramente arrependido do ato que cometeu. A reconciliação exige a o restabelecimento da verdade, e isso significa boa-fé de ambas as partes.

O QUE É PERDÃO?

O PERDÃO COMEÇA QUANDO ABANDONAMOS A IDEIA DE VINGANÇA

É a decisão de não querer infligir um sofrimento proporcional à pessoa que nos ofendeu.

Quando perdôo eu abro mão do direito de revidar a ofensa. Não cedo ao meu desejo de ver a pessoa sofrer nem ajo com base nele. Paro de fantasiar vinganças. Onde a pessoa é torturada; despedida do emprego, engorda 25 kg...

O SEGUNDO ESTÁGIO DIZ RESPEITO A UMA NOVA MANEIRA DE VER E SENTIR

O problema de ficar profundamente ofendido é que, quando olhamos para a pessoa que nos ofendeu, não vemos a pessoa – vemos apenas a ofensa. Quando perdoamos uns aos outros, enxergamos com mais clareza. Podemos ver o outro através dos olhos de Cristo. Um outro ser humano criado a imagem e semelhança do Pai.

Somente quando vemos assim, conseguimos iniciar a vacilante caminhada do porco espinho rumo a reconciliação...

O TERCEIRO ESTÁGIO, AQUELE QUE NOS MOSTRA QUE COMEÇAMOS A FAZER UM PROGRESSO VERDADEIRO, É QUANDO PASSAMOS A DESEJAR O BEM DA OUTRA PESSOA.

Não desejamos mais que os telefonemas recebidos por ele seja apenas de telemarketing! Ou de cobrança...

Mas passamos a deseja coisas boas para ele. Somos capazes de ouvir alguém elogia-lo sem sentir, no íntimo, o desejo de exigir uma réplica.

Desejamos que tudo corra bem entre ele e Deus; Que seus relacionamentos sejam saudáveis;

(Não se engane! Haverá recaidas! Às vezes, vamos gostar de ouvir que a pessoa se deu mal, ficou careca, engordou...)

PERDÃO É MILAGRE DE DEUS EM NOSSA VIDA.

Deus ordena que perdoemos, porque Ele nos perdoou e porque perdoar é a melhor maneira de se viver.

Nenhum ser humano é mais infeliz que aquele que se recusa a perdoar.

NUNCA É TARDE DEMAIS PARA PERDOAR E PROCURAR RECONCILIAÇÃO

Porque ela é a cura que mais desejamos.
Talvez você tenha rompido um relacionamento há décadas atrás;
Talvez ele nunca tenha sido satisfatório;
Talvez você esteja guerreando há tempos com uma pessoa de sua família;

Nunca é tarde demais para reconciliar-se.

Deus diz que devemos perdoar todas as vezes que nos sentirmos ofendidos, e que, devemos nos reconciliar sempre que possível, porque a vida é curta demais.

Nunca teremos outra oportunidade. Se não perdoarmos seremos pessoas difíceis e amargas. A falta de perdão aniquila o coração.

Não perdoe, e a raiva se transformará em fardo;
Não perdoe, e aos poucos a alegria que você sente será sufocada;
Não perdoe, e você nunca mais será capaz de confiar em alguém;
Não perdoe, e aos poucos a amargura tomará o lugar da compaixão em seu coração;
Não perdoe, e aquele pequeno rancor que você sente começará a crescer e se fortalecerá.

POR ISSO, MINHA PROPOSTA COM CLUBE DA LUTA:

Não há nada que substitua a família.
E pela família vale todo e qualquer esforço.

VOCE DESEJA UM RELACIONAMENTO DURADOURO NA SUA FAMILIA?

APRENDA A PERDOAR
APRENDA A PEDIR PERDÃO.

CLUBE DA LUTA - SEGUNDO ROUND


É hora de retrair os espinhos e interagir.

ROSTOS DESCOBERTOS: AUTENTICIDADE - Gen 2.25

Entendo que este texto faz menção do mais profundo anseio do ser humano: conhecer e ser conhecido.

Aparentemente, mesmo antes do pecado original, Adão e Eva não passavam o dia inteiro andando no jardim com Deus.

O próprio Deus estabeleceu uma espécie de ritmo de independência e intimidade com as criaturas humanas feitas por Ele. Da mesma forma que um pai ou mãe inteligente, Deus proporcionou espaço para ambos crescerem, de modo que pudessem ter vida plena e abundante, e a opção de compartilhá-la livremente com ele.

Antes da queda, não havia nada oculto. Nenhum mistério. Completa transparência. Nenhuma culpa. Eles se conheciam plenamente e eram plenamente aceitos. Em seguida veio o pecado... Vergonha, culpa, o esconder-se (Gn 3.8);

Isso é o que o pecado faz:

A raiva magoa as pessoas;
O orgulho deprecia as pessoas;
A luxuria usa as pessoas;
A falsidade zomba das pessoas

O PECADO SEMPRE DESTROI OS RELACIONAMENTOS

Esconder-se é uma maldição. Adão se esconde. E Deus pergunta... e essa é uma das perguntas mais surpreendentes da Bíblia!

A explicação é que a pergunta de Deus não está relacionada com a localização geográfica de Adão. Não se trata de um pedido de informação, como se Deus necessidade de um GPS. TRATA-SE DE UM CONVITE:

1. Deus permite que Adão se esconda;
2. Deus oferece a ele a oportunidade de sair do esconderijo;
3. Deus tem a misericórdia audaciosa de tratar Adão como uma pessoa, apesar de Adão ter-lhe desobedecido.

Convite a autenticidade. Autenticidade do dia-a-dia. Sem máscaras, sem segredos. Sem dissimulações. Viver assim só é possível quando temos a certeza do amor de Deus.

IMPORTANTE: o ato de revelar quem somos não cura nossa natureza pecaminosa. Imagine Hitler dizer: “Bem, talvez eu seja um psicopata capaz de cometer um genocídio, mas é assim que eu sou, quer vocês gostem ou não”.

Não necessitamos apenas nos expor. Necessitamos de perdão, cura e misericórdia. E foi por este motivo que Jesus caminhou até a cruz. Viver com o rosto descoberto significa assumir o compromisso de nunca tentar fingir ser mais do que realmente sou.

Todo ser humano carrega mágoas, feridas ou cicatrizes. Nossa tendência, desde o pecado original, é permanecer escondido como se nossa vida dependesse disso.

Talvez você tenha cometido atos que lhe causem muita vergonha, ou fez escolhas tão dolorosas que não deseja sequer pensar nelas;

Talvez alguém tenha praticado um ato tão indigno contra você que lhe é quase impossível falar dele;

Talvez esse ato indigno tenha sido responsável por uma depressão ou ansiedade tão forte que o impede de levar a vida adiante;

Talvez esse ato indigno tenha sido responsável ´por um hábito ou padrão de comportamento do qual você deseja livrar-se e não consegue – sente-se muito fraco.

Preste atenção: FOMOS FEITOS PARA SER ENCONTRADOS. Não haverá possibilidade de cura se permanecermos escondidos.

Autenticidade...

ABANDONE SUAS PEDRAS: ACEITAÇÃO - João 8. 1 - 11

O pecado não reprimido sempre gera mais pecado. Pecados da carne X pecados do espírito.

Pecados da carne: incluem apetites não controláveis: luxuria, ganância, glutonaria, embriaguez, preguiça. Nossa carne é tão pecaminosa que se tivermos tempo, transformamos qualquer coisa em ídolo...

Pecados do espírito: tem mais relação com a alma do que com nossa biologia. Orgulho, arrogância, hipocrisia, julgamento. Em geral, não são tão coloridos como os pecados da carne.

A exemplo dos acusadores daquela mulher, hoje também, caminhamos pela vida com pedras na mão:

Pensamentos julgadores;
Atitudes de superioridade;
Palavras impacientes;
Ressentimentos e amarguras;
Pouco espaço para o amor.

Há pessoas em nossas famílias aniquiladas, tremulas de medo e culpa, perdidas, mas estamos tão concentrados em nossa hipocrisia que não as vemos. Ou pior, as vezes vemos e não nos comovemos.

EXISTE ALGUMA PEDRA QUE VOCE NECESSITA ABANDONAR?

Se você falou mal de alguém, aproxime-se dessa pessoa e peça-lhe desculpa. Acerte a situação com ela.

Se seu coração esta endurecido em relação a alguém, faça algo útil para essa pessoa. Não conte a ninguém. Peça a Deus que mude seu coração.

Se você se comportou mal com alguém, aproxime-se dessa pessoa. Hoje. Peça-lhe perdão.

As vezes você carrega essas pedras por tanto tempo que não se lembra de ter vivido sem ela.

IMPORTANTE: Aceitar uma pessoa não é o mesmo que aprovar tudo o que ela faz. Aceitação não é o mesmo que tolerância.

Aceitação é um ato do coração. Aceitar uma pessoa é afirmar-lhe que você se sente feliz por ela estar viva.

João 8. 10 – 11: Nem eu te condeno! Chega de condenações. Ele tinha algo mais a dizer... 8.11b

E Jesus profere as palavras que quebrantam o coração da mulher e que a trouxeram de volta a vida. As palavras causam-lhe sofrimento, porque revelam que Jesus conhece o seu passado. Porem, a enchem de esperança, porque alguém acredita nela.

VÁ E ABANDONE SUA VIDA DE PECADO.

Aceitar não é o mesmo que tolerar qualquer comportamento que a mulher decida ter.

Aceitar seus familiares não significa recusar-se a dizer-lhe quais são as falhas que prejudicam os outros e a ele próprio.

A ARTE DE COMPREENDER AS PESSOAS: EMPATIA

Geralmente o coração das pessoas não se revela por meio de suas palavras. Empatia é estar em sintonia com o outro. É colocar-se no lugar do outro.

Em geral, as pessoas que não entendem o que se passa no coração alheio, não se dão conta disso. São surdas ao tom emocional. Elas não percebem que estão agindo de forma errada. Por isso, sugiro percorrermos a estrada dos relacionamentos e aprender suas regras:

OUÇA.
Pare de falar, pare de dar conselhos, pare de andar a esmo, pare de criticar, pare de falar mal da vida alheia, pare de chamar a atenção para suas palavras – por favor pare! Provérbios 10.19: “Quando são muitas as palavras, o pecado esta presente, mas quem controla a língua é sensato”. Uma das formas mais simples de não pecar é parar de falar demais. Somos capazes de viver, sem dar a ultima palavra. Aprenda a ouvir com atenção.

ANIME!
Provérbios 15.10: “Um olhar animador dá alegria ao coração”. O sorriso e a risada aliviam o estresse porque liberam analgésicos, endorfinas, encefalina, dopamina, noradrenalina, adrenalina: que produzem euforia. Esse texto de provérbios é verdadeiro no sentido mais fisiológico possível. As pessoas dentro de nossa casa precisam de animo mais do que podemos imaginar.

DÊ ATENÇÃO
Todo relacionamento é uma área em construção. Onde há coisas vivas é necessário cuidar sempre! Quando não fazemos isso: Conflitos tendem a ficar sem solução;
Perde-se o contato; As pessoas acupam-se com outras tarefas.

Daniel Goleman usa o termo “economia emocional”. Diz que cada intereação com outra pessoa envolve não apenas uma simples troca de informações ou um compromisso cumprido, mas uma influencia mutua de nosso humor e atitudes. A economia emocional é a soma total da troca de emoções entre nós. Emoções são mais contagiosas que gripe.
Todas as vezes que duas pessoas interagem, elas se sentem melhores e mais fortalecidas ou pior e mais exauridas.

DISCERNIMENTO
Conversar em outra ocasião. Abordar o assunto de outra maneira. As vezes preciso chamar a atenção da Fernanda. Percebo que algumas conversas não tem finalidade construtiva; é apenas um exercício de catarse para mim. A Fernanda esta enviando mensagens: estrada fechada!

MOTIVAÇÃO
Aprender a extrair o que há de melhor nas pessoas. As pessoas vivem abatidas por seus fracassos; Abatidas no trabalho; Abatidas na qualidade do relacionamento familiar; Abatidas por decepções. Encoraje-as!

Bom e se tudo isso gerar conflitos? Estar vivo significa viver em conflito!!

1. Assuma a tarefa de procurar a reconciliação.
2. Aproxime-se, não se esquive da pessoa com quem você teve o conflito. Não alimente o ressentimento.
3. Nada de terceiros! Converse você diretamente com a pessoa envolvida!
4. Use a sensibilidade. Converse a sós com a pessoa.não precisamos constranger desnecessariamente a outra pessoa forçando-a a reagir diante de terceiros.
5. Tenha em mente a reconciliação.em situações de conflito, o objetivo não é vencer, nem marcar pontos: é a reconciliação. Sua meta deve ser restaurar o relacionamento. A reconciliação raramente é simples e nunca é rápida!

CLUBE DA LUTA - PRIMEIRO ROUND

Parente, diferentemente de amigos; a gente não escolhe. A gente não escolhe o pai abrutalhado, de poucas palavras. Sisudo pelo tempo e pelas dificuldades da vida. Ou em outras vezes, o pai ausente em todos os sentidos de um relacionamento doméstico. A gente não escolhe a mãe sofrida pela vida, que de tudo reclama. Que mesmo em tempos de calmaria encontra do que murmurar. A gente não escolhe também a mãe “superprototera” que para tudo tem um conselho ou palavra de sabedoria. Mãe que vez ou outra atrapalha o desenvolvimento dos filhos na tomada de decisões. Mãe que mima ao limite extremo! A gente não escolhe o filho respondão, estúpido, ingrato. Aliás, a gente se esforça demais para que nossos filhos não cresçam assim. A gente não escolhe a filha rebelde, que se arruma pra sair de casa na hora que nós estávamos esperando pela sua volta! A gente não escolhe filhos que escolhem suas amizades sem critério e, muitas vezes entra em confusões e trapalhadas. A gente não escolhe irmãos de sangue folgados e usurpadores. Mentirosos, enganadores. Irmãos oportunistas que tentam nos enganar e levar vantagem em tudo na vida. A gente não escolhe essas pessoas! E se possível não gostaríamos de conviver com elas nunca mais! Porém, como isso não é possível na maioria das vezes; acabamos empreendemos todos os esforços para modificar essas pessoas; controla-las ou fingirmos que são o que não!

Fato é, que isso não dá muito resultado. Daí, tentamos dividir a família em pessoas normais, sadias (como nós – é claro) e as difíceis! Disso tenho aprendido que um grande sinal de maturidade é aceitar o fato de que todo mundo é “do jeito que é”.

Gênesis 4.8 - Caim sente inveja de Abel e o mata. Gênesis 4.19 - Lameque dá inicio a poligamia no mundo. Gênesis 9 – 21-27 - Noé, o homem mais justo de sua geração, embriaga-se e amaldiçoa o próprio neto. Gênesis 19. 5-8 - Quando a sua casa é cercada pelos habitantes de Sodoma que querem violentar seus hospedes, propõe-lhes a entrega das próprias filhas
Gênesis 19.30-38 - Posteriormente, suas filhas o embebedam e engravidam dele – Ló é o homem mais justo de Sodoma! Gênesis 21. 8-9; 25.5,6 - Abraão causa desavença entre seus filhos Isaque e Ismael por favorecer Isaque. Gênesis 25.28 - Isaque provoca uma inimizade de vinte anos entre seus filhos Jacé e Esaú por favorecer Jacó. Gênesis 37.3,4 - Jacó elege a José como favorito entre seus onze filhos. Gênesis 37.18, 26-28 - Os irmãos planejam mata-lo e acabam vendendo-o como escravo.

Sem falar que o casamento de todos eles apresenta problemas graves: Abraão relaciona-se sexualmente com a serva de sua mulher, depois expulsa de casa com o filho, a pedido da mulher legítima, e eles passam a vagar pelo deserto. Isaque e Rebeca manifestam preferências individuais por determinado filho, numa história familiar cheia de ciúmes, fraude e desavenças. Jacó casa-se com duas mulheres e , enquanto ambas se desentendem por motivos de fertilidade, ele coabita com as servas das duas e as toma como concubinas. (um jeito mais bonitinho de falar amantes). Ruben, o primogênito de Jacó, deita-se com a concubina do pai. O outro filho, Judá, deita-se com a nora disfarçada de prostituta. Ela toma essa atitude por não ter filhos. Seus dois maridos – ambos filhos de Judá – eram tão perversos que foram mortos por Deus, e Judá a abandonou a própria sorte. ESSA GENTE PRECISA DE TERAPIA!

Nossas famílias, não são tão diferentes ou difíceis como pensamos. Não é mesmo?

ALGUNS FATOS...
Todos nós temos hábitos que sozinhos não podemos controlar;
Todos nós praticamos ações que sozinhos não podemos desfazer; Todos nós temos falhas que sozinhos não podemos corrigir.

E a grande questão é. Esta é a dificuldade: como levar adiante esse lindo sonho de conviver com pessoas que fazem parte da vida real? Pessoas excêntricas, anormais, problemáticas? Filhos, pais, mães, irmãos. É possível?

História do porco espinho...


O porco-espinho, comum em várias partes do Brasil. Ele pertence a família dos roedores e tem cerca de 30 mil espinhos presos ao corpo. Cada espinho pode ser atirado na direção do inimigo. O calor do corpo do inimigo provoca a dilatação da farpa, facilitando sua fixação. Se os ferimentos se transformarem em feridas e atingirem órgãos vitais, poderão causar a morte. O aspecto do porco espinho não é agradável. Seu nome em latim significa “dorso irascível”. Não conheço ninguém que tenha um porco espinho de estimação. São feios. indelicados. De modo geral, o porco espinho usa dois métodos para estabelecer relacionamento: RECUAR e ATACAR. É em geral um animal solitário. Eles andam sozinhos. Mas nem sempre gostam disso... No fim do outono, o porco-espinho jovem pensa em namorar. Mas, o namoro é assunto de grande risco pra ele... As fêmeas aceitam um convite para jantar e ir ao cinema apenas uma vez por ano; as portas da oportunidade fecham-se rapidamente. Desconfio que o “não” de uma garota porco-espinho é a resposta mais respeitada de todo reino animal!

Esse é o dilema do porco espinho: como aproximar-se sem sair ferido? Esse é também nosso dilema.

Cada um de nós carrega um pequeno arsenal. Nossas farpas têm nome:
Rejeição, acusação, ressentimento, arrogância, egoísmo, inveja, desprezo. As pessoas que estão mais próximas de nós, são capazes de ferir, infectar e até matar. Porém, nos também, sabemos ferir as pessoas que desejamos ter por perto. Tentamos sempre descobrir como manter relacionamentos sem sair ferido ou ferir.

Talvez o primeiro passo seja o reconhecimento que EU SOU O PORCO-ESPINHO DE ALGUÉM. VOCE TAMBÉM É.

É difícil pra você aceitar algumas atitudes dos seus familiares? Pois saiba que pra eles também é difícil aceitar algumas de suas manias!

A boa noticia é que é possível BONS RELACIONAMENTOS. Até entre porcos-espinhos! MILAGRES DOS MILAGRES

Em raras ocasiões eles aceitam dividir o espaço com outros da mesma espécie; alguns, criados em cativeiro, recebem alimento pela mão dos veterinários e aprendem a não soltar as farpas;
No acasalamento, macho e fêmea passam um tempo juntos se conhecendo, depois, em pé nas patas traseiras, tocam as patas dianteiras, como numa dança e, se acasalam. PORCOS ESPINHOS RETRAEM OS ESPINHOS E APRENDEM A DANÇAR.

Portanto... CLUBE DA LUTA não é uma proposta para você aprender a lidar com pessoas complicadas.

Essa série de estudos não é para pessoas “normais”. Meu caro, isso não existe! Não existe pessoas normais desde o pecado original. Somos todos excêntricos!

Minha idéia é de ajudar pessoas imperfeitas como você e eu a conviver com outras pessoas imperfeitas.

É a proposta de retrairmos nossos espinhos e cumprirmos os propósitos de Deus para nossa vida em família.

Nossa tarefa nos próximos dias é de criarmos pequenas ilhas de shalom em um mar de isolamento.

É hora de retrair os espinhos e interagir.


PLANEJANDO SEM ESTRESSE


Estresse e corre-corre é um mal dos nossos dias! Com isso, se os planos nascem num contexto deformado, ele já nasce deformado.

Uma das causas de estresses na vida espiritual e na Igreja de um modo geral são os PACOTES (igreja com propósito, vida com propósito, empresa com propósito, ministério com propósito, igreja em célula, igreja com célula, igreja no modelo dos 12, igreja nos lares, mega-igreja, “pessoas certas, nos lugares certos, pelas razões certas”, etc...). Observação importante: pacotes são muito úteis desde que vistos como ferramentas e, flexibilizados de acordo com o contexto local. Fora disso, eles se tornam camisas de força na comunidade local.

A - Planejar com visão é planejar sem estresse!

“Palavras de Neemias, filho de Hacalias: No mês de quisleua, no vigésimo ano, enquanto eu estava na cidade de Susã, Hanani, um dos meus irmãos, veio de Judá com alguns outros homens, e eu lhes perguntei acerca dos judeus que restaram, os sobreviventes do cativeiro, e também sobre Jerusalém. E eles me responderam: “Aqueles que sobreviveram ao cativeiro e estão lá na província passam por grande sofrimento e humilhação. O muro de Jerusalém foi derrubado, e suas portas foram destruídas pelo fogo”. Quando ouvi essas coisas, sentei-me e chorei. Passei dias lamentando-me, jejuando e orando ao Deus dos céus".
Neemias 1. 1-4

1. Devemos buscar a Deus mais que as tendências.
2. Para as “tendências” que Deus quer usar Ele dará visão aos seus servos.

B – Sensibilidade para a visão

1. Deus quer falar com você hoje;
2. A visão de Deus é para as pessoas. Não para coisas;
3. Implica em “ser sensível” e saber como Deus está falando;
4. Quando você descobre o que Deus quer fazer, você encontra o seu papel num lugar!
5. Nenhum projeto é executado sem preparo, e preparo requer sensibilidade espiritual. O que isso significa?
a. É preciso esvaziar-se para se reabastecer do projeto de Deus;
b. Quem não se esvazia cria planos bons, mas não necessariamente abençoados;
c. A primeira atitude de alguém sensível é ouvir a Deus e não falar a Deus;
d. Quem é sensível consegue sensibilizar o povo, pois fala no poder de Deus;
e. Quem é sensível espera resultados para o Reino e não para o seu ministério pessoal.

C – Vivemos de uma lei básica no Reino: Plantio e Colheita (Gálatas).

Plantio: Colheita:
Planos superficiais Baixa produtividade
Implantação da própria vontade Fora da visão de Deus
Planos suicidas Desgaste ministerial

Devemos estar atentos: Necessidades – Problemas – Desafios - Oportunidades

CRENTE DESVIADO E CATÓLICO NÃO PRATICANTE




Pobre turba cujas vidas não conheceram louvor ou infâmia, contra Deus não se rebelaram, nem lhe foram fieis, mas foram leais só a si mesmos.
Dante Alighieri
A DIVINA COMÉDIA. INFERNO. Canto 3


Às vezes ao conversar com uma pessoa sobre sua caminhada cristã, ouvimos: “Sou crente, mas estou desviado”, ou então “sou católico não praticante”.

Na grande maioria das vezes, elas querem dizer que não estão assistindo o culto ou a missa em nenhum local, ou que sua conduta não condiz com o que é ensinado nessas igrejas.

Na grande maioria das vezes também, isso é discurso de gente convencida, mas não convertida. É discurso de quem um dia foi convencido por um amigo, uma instituição, um líder, um pastor. Convencido sobre um conjunto de dogmas, uma postura ética ou um discurso politicamente correto. Ou ainda discurso de quem herdou a fé dos pais ou da família.

Pessoas que se convencem de algo por alguém não permanecem. Não resistem ao dia mal. Não resistem as agruras da vida. Não têm força diante dos desafios da demanda de viver. Confirmando o que Jesus já nos ensinou em suas parábolas.

“Sou crente, mas estou desviado”, ou então “sou católico não praticante”. Tem em comum a fala de gente comprometida com as instituições e com as coisas. Mas não comprometimento com o Rei e seu reino. Fala de gente decepcionada com as instituições de modo geral.

Isso é bem diferente de conversão. Gente nascida de novo, que peregrina a caminho do reino em noites escuras da alma; onde a comunhão com Deus não se resume ao participar de um serviço religioso no final de semana.

Então o “Sou crente, mas estou desviado”, ou então “sou católico não praticante”, nunca se justifica?

Não é bem assim! Há fatos concretos de pessoas envolvidas com Deus, mas com seus sonhos e idéias destruídos pela instituição, pelo apelo megolamaníaco de lideres, pelo abuso espiritual de outros. Há gente sim, longe da Comunhão dos Santos por absurdos da instituição. Infelizmente.

Entendo que pessoas assim estão passando por fase da vida e que isso cedo ou tarde se resolve na comunhão com o Senhor e, por Sua graça, mesmo que em doses terapêuticas a comunhão com o Corpo volta a acontecer. Aquele que nos chamou para si nos conserva e sustenta em si. Estes já entenderam que tão importante quanto andar com o Senhor é andar com os Seus e, que amar a Deus que não vemos acontece através do amor ao irmão que vemos.

O que me preocupa no “Sou crente, mas estou desviado”, ou então “sou católico não praticante” é o grupo que já experimentou de tudo em quase todas as igrejas e delas sempre saem falando mal. Gente que se esquece que sua comunidade de fé será tão boa, quanto bom é o seu próprio relacionamento com Deus.

Atrás do discurso “Sou crente, mas estou desviado”, ou então “sou católico não praticante” esconde-se gente acomodada, que talvez, e só talvez, nunca teve um encontro com o Cristo ressurreto.

Que o encontro aconteça! E que venha o reino.

RADIOGRAFIA DE UMA RESTAURAÇÃO


Queda é questão de oportunidade. Uma queda começa com o primeiro passo na direção errada.

A sociedade que vivemos tem se mostrado decadente, com enorme inversão de valores. Uma sociedade “vale tudo” que perdeu o respeito pelas coisas de Deus. Uma sociedade utilitarista (pessoas para nosso uso pessoal, pessoas descartáveis que quando envelhecem são postas de lado);

O cirstão do século XXI não leva a sério a leitura da Bíblia e a vida de oração. Portanto, tornam-se presas fáceis de satanaz. A imoralidade toma conta da vida dessas pessoas.

Dando uma olhada na vida do irmão Davi em II Samuel 11, dá para observar algumas coisas sobre "queda".

Davi estava no lugar errado (v1). Afastado de onde deveria estar. Hoje (respeitando as devidas considerações) longe da “comunhão”.

Ócio muitas vezes é sinônimo de prejuízo. Davi viu! O homem é sempre sensibilizado pelo o que vê. A mulher pelo o que ouve; com isso ele se envolve emocionalmente! Davi a deseja. Emoção sempre fala mais alto que razão!

A consequencia desse ato é visto em II Samuel 12. 11, 12.

O que o homem semeia ele colhe. Aqui é uma situação de causa e efeito e não de castigo e punição. Davi perdeu seu filho (12. 14).

Felizmente, há aqui uma história de Restauração também. Restauração que é descrita no SALMO 51. Com tudo oq ue houve, Davi perdeu a alegria, perdeu a autoridade, perdeu o respeito.

Porém, ele reconhece o seu erro (v. 3, 4); deseja ser perdoado (Davi sabia que um coração quebrantado move o coração de Deus); e arrepende-se (v.3).


Não há pecado grande demais, nem abismo tão profundo onde o Senhor não possa nos encontrar e restaurar.


Restauração é possível sempre!

PARA ONDE VAMOS?


A Bíblia começa com o Éden e termina com a nova Jerusalém. Tanto a origem como o destino do testemunho bíblico apontam para as mesmas realidades:

Harmonia entre os seres humanos;
Harmonia entre o ser humano e a natureza;
Harmonia entre ser humano e Deus;
Harmonia entre natureza e Deus;
Harmonia ecológica;
Harmonia psicológica;
Harmonia sexual;
Harmonia cultural;
Abundância de paz;
Ausência de sofrimento;
Ausência de maldade;
Ausência de lágrimas e tristezas;
O propósito é vida em abundância.

Talvez alguém diga: “É utopia”. Pode ser. Porém, a espiritualidade e a missão cristãs ocupam-se com a construção dessa utopia. Certamente, mais que utopia, são expressões que denotam origens e destinos.

O REINO ENTRE NÓS!


Nos dias 17 e 18 de Julho estará ministrando em nossa igreja a irmã BETH WOOD da Halifax Metro Vineyard, no Canadá. Ela é autora do livro O REINO ENTRE NÓS publicado no Brasil pela Editora Ultimato.
VINEYARD CAFÉ
"O REINO ENTRE NÓS" - com Beth Wood
Dias 17 e 18 - 19h30
ENTRADA FRANCA!

SEJAM MEUS IMITADORES


video

O convite do irmão Paulo em 1ª Corintios 11.1 é: sejam meus imitadores!

Se não somos imitadores de Cristo, a quem estamos imitando?


“Um discípulo é simplesmente alguém que decidiu ser como outra pessoa e passou a viver sob as condições que possibilitariam aprender a viver como a outra pessoa vive e ser o que a outra pessoa é”. (Dallas Willard – A conspiração divina).

Infelizmente nossas igrejas hoje não fazem mais um convite para que as pessoas se tornem discípulas (imitadoras) de Jesus. Nos dias de hoje, ser cristão passou a significar freqüentar uma igreja evangélica e ir para o céu depois da morte.

A agenda da igreja passou a se caracterizar em “resolver problemas”: Apaziguar crises conjugais, curar doenças, esclarecer dúvidas existenciais, consolar na dor e no sofrimento, arrumar emprego, etc.

Não questiono a importância e a necessidade de todas essas coisas. A igreja que eu pastoreio tenta ajudar as pessoas em todas essas necessidades. E a aprendizagem com Jesus passa pela vida e seus problemas mais comuns!

Porém, tão importante quanto resolver tudo isso, é nos tornarmos discípulos de Jesus. Um aprendiz na vida diária, como o Novo Testamento apresenta.

Que o Senhor nos abençoe em nossa peregrinação rumo a sua imagem e semelhança.

FOI BOM PRA VOCÊ?


Acho que um dia todos os cristãos já perguntaram ou ouviram a pergunta pelo menos uma vez na vida:

- Você gostou do culto hoje?

De onde tiramos essa idéia que precisamos "gostar do culto"? Quem precisa "gostar do culto" é Deus! final de contas, o culto é pra Ele!

Quando nos reunimos em Celebração, não fazemos isso para curtição, não fazemos para estar com a galera, para rever amigos e colocar a conversa em dia. Isso é clube não Celebração. Isso é reunião de shopping center. Bate papo de corredor.

Quando nos reunimos em Celebração, fazemos isso em torno de uma promessa que onde dois ou tres estiverem em meu nome (Jesus) ali eu estarei! É por causa dessa promessa que nos reunimos e, nos reunimos em nome de Jesus. Se ele não estiver presente entre nós, não fará sentido algum a Celebração.

Por isso, quem de fato precisa gostar dessa reunião é Ele e, não nós.

Agora, uma coisa é fato: Esse ambiente será tão saudável e festivo quanto a minha expectativa em colaborar e participar para que isso aconteça.

Grande braço!

SANTO SANTO

video

ASKESIS E O PERÍODO DE ADORAÇÃO NA VINEYARD MOGI


ASKESIS é uma palavra grega que designa, ou significa o período de treino ou preparo de um atleta para a competição. No caso da ADORAÇÃO COLETIVA com a igreja podemos compreender ASKESIS como período devocional e ensaio das equipes.

Nos bastidores tudo precisa funcionar bem para que haja na hora os resultados desejados: UM ENCONTRO COLETIVO DO CORPO COM O PAI.

Para isso, algumas ferramentas podem ser úteis aos grupos de adoração da igreja. São elas:

1. Quando liderara a adoração “modular” os sentimentos. Isso pode ser feito através da empostação de voz e do repertório escolhido.
2. Não perder a autoridade ou a liderança da igreja.
3. Simplicidade. Não complique a Ministração!
4. Ser claro no que você diz e faz.
5. Seguir a direção do Espírito Santo com instrumentos e vozes. Nunca é demais lembrar que somos instrumentos do Espírito para edificação da igreja. Por isso, e para isso, precisamos estar em sintonia com Ele e caminhar na direção que Ele definir para que a igreja seja edificada.
6. Sentir no coração o que Deus esta fazendo. Ter os olhos no comportamento do povo. A igreja é o termômetro da ação do Pai.
7. Equipes de adoração devem ser agentes facilitadores do mover de Deus.
8. Adorando X Liderando. Sua adoração deve ser pessoal e diária. O que você faz com a igreja deve ser um reflexo do seu dia-a-dia. Quando a equipe está diante da igreja ela está liderando, ou seja, está conduzindo a igreja com segurança.
9. Estudar, aprender, usar os recursos disponíveis.
10. Manter uma conduta de DEVOÇÂO no dia-a-dia.
11. Ainda assim (9 + 10), NÂO confiar nos próprios méritos! Isso é CATASTROFE NA CERTA!! Quando pensamos assim nos afastamos de Deus. (Apocalipse 3.17). Porque: Não merecemos a presença de Deus (Lucas 18.9-14) e, Não somos dignos, e nunca seremos (Lucas 18.9-14)
12. Adorar a Deus e dirigir o povo. A equipe de adoração precisa unir as duas coisas.
13. Todos tocam juntos o tempo todo? NÃO! É importante respeitar espaços e o que foi ensaiado. Isso significa que: O alvo da equipe precisa ser o mesmo. Harmonia. Participação de todos. Exemplo: Equipe de 5, cada um faz a quinta parte.
14. O líder da equipe precisa ter um coração de pastor e um CORAÇÃO DE PROFETA. Coração de pastor: Conforto para o povo, sentimento de segurança, tranqüilidade, bem estar. Coração de profeta: Mensagem do Pai, orientação do Pai, caminho escolhido pelo Pai, correção do Pai.
15. Comunicação entre a equipe: Sinais. (vocais, instrumentos, silêncio, alguns instrumentos, etc).
16. No período com a igreja tudo é espontâneo, e ao mesmo tempo, tudo é planejado, pensado e estruturado. As “surpresas” devem ser mínimas, se possível não existirem.
17. Ministrar adoração com a IGREJA não é “performance” ou “apresentação”! TEM A VER COM A PRESENÇA DE DEUS! O FOCO É E SEMPRE SERÁ DEUS.
18. Ministrar adoração a IGREJA é LEVAR PESSOAS A MAJESTOSA E GLORIOSA PRESENÇA DE DEUS.
19. Conversar com a igreja após os cultos. Receber um feed-back do que está sendo feito.
20. Antes de cada ensaio avaliar com a equipe o ultimo culto. Avaliar coisas boas (para edificação) e coisas ruins (para melhorar a cada dia).


Que o Pai nos abençoe!

UMA IGREJA VOLTADA PRA DEUS


Nos últimos anos estou envolvido com a Vineyard Mogi.

O meu maior desejo, junto ao grupo que pastoreio é de “fazer/ser/estar igreja” de tal maneira que não coloque nossa fé como algo bobo ou de baixo nivel, e que repetidamente possa contar nossa historia Cristã, que é bem distinta.

Meu maior desejo é que as pessoas envolvidas nesse movimento entendam que quando dizemos conversão falamos sobre ajudar pessoas a passarem pelo processo de mudança de paradigmas – que conversão significa ensinar às pessoas, sem nenhuma vergonha disto, um novo vocabulário, contar a elas novas histórias, e permitir que elas experimentem as práticas distintivas de uma comunidade em particular.

Meu maior desejo é de nos lembrarmos sempre que igreja é um grupo peculiar de pessoas que se auto-definem através de uma série de presuposições totalmente diferentes daquelas do mundo. Precisamos reconhecer que não estamos ajudando de maneira nenhuma, aqueles que estão buscando a Deus, quando tentamos explicar o Caminho de Cristo, numa linguagem que é primariamente terapeutica e gerencial. Precisamos ajuda-los a aprender uma nova linguagem e uma nova maneira de enxergar o mundo.

Suponhamos que eu convide um amigo que não sabe nada de futebol, para ir a um jogo importantíssimo da primeira divisão. Ao entrarmos no estádio, e ao assentar, ninguém espera que eu vá até lá embaixo, no campo, e peça para aqueles que estão jogando, que mudem as regras do jogo, para que meu amigo possa entender melhor e ter mais acesso ao jogo! Não. De maneira nenhuma.

Meu amigo veio, esperando experimentar e ver um jogo de futebol - e é isso que ele espera que seja jogado. E como tal, ele se sentirá na obrigação de aprender sobre o jogo. E vamos esperar que os jogadores possam apresentar um bom jogo, interessante e competitivo, de tal maneira que aqueles que não conhecem nada sobre futebol, possam se interessar e aprender um pouco mais sobre este jogo.

Uma das razões pelas quais estamos cada vez mais sem voz em nossa cultura, é que abaixamos o Cristianismo a um nível extremamente ridículo!

Talvez seja tempo de ensinar às pessoas, um novo vocabulário, a ouvir nova história, e a experimentar algumas práticas diferentes. E talvez seja tempo dos Cristãos viverem uma vida tão emocionante, tão desafiadora e tão interessante que as pessoas naturalmente queiram entender o que nos leva a viver do jeito que vivemos.

Ao me encontrar com tantas pessoas as vezes penso, à medida em que seguimos em busca de uma igreja voltada para Deus: É o homem que está buscando a Deus, ou Deus que está buscando o homem?

Desconfio, que talvez o que o homem esteja fazendo, é se escondendo de Deus, enquanto faz de conta que está buscando à Deus, mas o que ele de fato está fazendo, é buscando um deus “previsível e seguro”. E na medida em que abaixamos o nível do Cristianismo, nós acabamos por participar deste esquema, e nos tornamos revendedores de bens e serviços religiosos de tal maneira que possamos suprir as pretensas necessidades das pessoas.

Pense sobre isto.

UM POUCO DE HISTÓRIA


O movimento Vineyard
Vinte anos atrás, em Yorba Linda, Califórnia, um grupo de pessoas com corações famintos clamou a Deus. A dramática resposta de Deus não somente afetou aquele pequeno grupo de pessoas, como também foi o alicerce para a fundação de uma nova igreja, Vineyard Christian Fellowship of Anaheim, nos arredores de Los Angeles. Esse foi o ponto de partida para que uma igreja local se transformasse em um movimento que tem crescido e afetado milhares de igrejas e milhões de pessoas ao redor do mundo.

Seu fundador, John Wimber, declara que louvor, ensino centrado na palavra de Deus, comunhão e uma grande teia de ministrações mútuas, além de treinamento de liderança, envio missionário, e obras sociais, são prioridades neste movimento do Espírito Santo no meio do povo de Deus alcançado pelos ministérios Vineyard.

Buscando aliar uma teologia chamada conservadora com a ministração poderosa do Espírito Santo, na dinâmica dos dons espirituais e na diversidade dos ministérios pessoais, o movimento Vineyard tem crescido como um vivo sinal histórico do Reino de Deus.

Comunidade Vineyard em Mogi das Cruzes
por Milton Paulo

Em 1997 ouvi falar pela primeira vez da Christian Vineyard Fellowship. Isso foi no meu período de seminário e não dei muita importância. Em 1998, através de uma entrevista ouvi pela segunda vez o nome da Vineyard; de uma forma muito positiva, na contribuição do Louvor e Adoração nas igrejas locais. Com este coração e anseio fui atrás de tudo o que estava ao alcance sobre a Vineyard (declaração de fé, artigos, matérias sobre adoração, livros, CDs, etc).

Em 2003, juntamente com um grupo de quase doze pessoas iniciamos a plantação de uma Comunidade Vineyard em Mogi das Cruzes.

Hoje, meados de 2008, somos uma igreja associada ao Movimento das igrejas Vineyard.

Não somos “mais uma igreja!”; ou “a melhor igreja”, ou ainda “a única igreja certa”. Somos apenas diferentes. Nos reunimos por termos um interesse em comum: Vivenciarmos a fé cristã de maneira sadia e relevante; experimentando da presença de Deus em nossa vida.

A proposta desta comunidade não é de auto-ajuda. Não é de compartilhar regras. Não é de “tirarmos pessoas de suas igrejas”. É a proposta de um caminho. Um caminho para peregrinação espiritual e transformação pessoal.

Em meio a dias tão confusos, onde as igrejas da mídia fazem a média do conceito “evangélico”, queremos ser e viver de uma forma diferente e relevante levando o evangelho todo, para o homem todo, para todos os homens. O que basicamente significa compromisso com Deus e com o próximo.

ARDER DE AMOR


Muitas vezes nos perguntamos: "Como podemos ser testemunhas em nome de Jesus? O que esperam que digamos ou façamos para fazer as pessoas aceitarem o amor que Deus lhes oferece?". Essas perguntas expressam muito mais nosso medo que nosso amor. Jesus mostra-nos o caminho de ser testemunha. Ele estava tão pleno do amor de Deus, tão ligado à vontade de Deus, tão ardente de zelo pelo Reino, que não pôde fazer outra coisa senão testemunhar. Aonde quer que Ele fosse e quem quer que encontrasse, uma força saía dele e curava a todos que tocassem nEle (ver Lc 6.19). Se quisermos ser testemunhas como Jesus, nossa única preocupação deve residir em sermos tão animados pelo amor de Deus como Jesus o foi.


(Henri Nouwen)

A VISÃO PARA TRANSFORMAÇÃO DO NOSSO CORPO


"A visão para transformação de nosso corpo", foi escrito pelo Leandro Gomes. Ele é membro da Vineyard Mogi e, atualmente desenvolve seu ministério pastoral na plantação da Capela da Vinha em Curitiba - PR. É casado com Bia e pai de duas lindas meninas.

Romanos 8.11
O corpo deve ser bem tratado e adequadamente cuidado – não como o mestre, entretanto, mas com um servo de Deus. O corpo de muitas pessoas domina as suas vidas. E este é o problema. O corpo em si não é mal. Mesmo dizendo-se cristãos eles dedicam ao seu crescimento espiritual apenas uma fração do tempo que dedicam aos seus corpos. Assim sendo, a grande pergunta é: Podem os nossos corpos verdadeiramente nos ajudar a alcançar o caráter de Cristo em nossas vidas. Eles podem e devem! (Rm 6.13)

FATOS:
- O corpo é uma das partes mais dificeis de se entregar para Deus. Se nós fazemos de nossas vidas, ao invés da vida de Cristo, o centro do nosso universo, nós acabamos vivendo a adoração do corpo que leva a ruína completa.
- Quando não levamos Deus a sério, automaticamente colocamos a nós mesmos como centro do universo. E quando somos o centro, as sensações da carne, a luxúria dos olhos e a paixão por ser alguém importante se tornam grandes tentações para nós (1 Jo 2.15-16)
- Quando minha vida está focada no meu corpo, a minha vida se desenvolve da seguinte maneira:
1. Meu jeito: Eu quero estabelecer meu próprio reino.
2. Meu corpo, minhas escolhas. Meu corpo se torna minha fonte principal de gratificação e o mais importante, senão o único, instrumento para conseguir o que eu quero.
3. Seu corpo, Minha escolha: Eu avanço para expandir meu reino sobre outras pessoas.
4. Minha escolha vs. Sua escolha: Aqueles que estão buscando estabelecer um reino diferente entram em conflito com os meus desejos.
5. Vivo em Guerra: Eu respondo com sentimentos destrutivos.
6. Ganhar a batalha, perder a guerra: Eu injeto veneno no meu mundo social e meu corpo é traído.
Quando minha vida está focada no Espírito:
1.Jeito de Cristo. Eu quero estabelecer o Reino de Cristo.
2.Corpo de Cristo, Escolhas de Cristo. Meu corpo se torna a fonte principal para realizar a vontade de Deus.
3.Seu corpo, Sua escolha. Eu não vou forçar Cristo sobre outras pessoas.
4.Escolha de Cristo vs. Sua escolha. Eu vou escolher a escolha de Cristo quando houver conflito com a escolha de outras pessoas.
5.Vivo em Paz. Eu respondo com emoções saudáveis (construtivas).
6.Ganhar e Ganhar. Eu injeto saúde no meu mundo social, e meu corpo é honrado.
Observe que a vida focada no Espírito leva a um comportamento completamente diferente e principalmente a um desfecho totalmente diferente para as nossas vidas! Não somos traídos por nós mesmos!
Boa semana!

CELEBRAÇÃO & SERVIÇO


Aqui na Vineyard Café; nos reunimos semanalmente. Esse ajuntamento acontece nos lares em Grupos Pequenos e, uma ou duas vezes por semana no espaço multiuso.

Não chamamos estes momentos de culto, mas de Celebração ou Serviço. A expressão “culto” traz a conotação de sacrifício, oferta para aplacar a ira e conquistar os favores de Deus, e nesse sentido, o único sacrifício aceitável a Deus é o sacrifício de Jesus Cristo na cruz, de modo que nós cristãos não fazemos nada para nos aproximarmos de Deus, apenas celebramos o que Jesus já fez por nós.

Em nossas celebrações cantamos, oramos, estudamos a Palavra e ministramos uns na vida dos outros. Trata-se de um tempo preciso, separado para comunhão com Deus e com o próximo.

Quando estamos reunidos em celebração comunitária, enfatizamos o que é comum. É um momento de instrução, encorajamento, adoração, etc. É um tempo, em que reunidos esperamos e desejamos a visitação de Deus entre nós.

Geralmente, depois da celebração, as pessoas permanecem um bom tempo em rodas de conversa e ministração mútua, como orações em duplas ou grupos, aconselhamentos e todo tipo de apoio pastoral. A manifestação da presença de Deus por meio dos dons do Espírito Santo não ocorre apenas durante as celebrações, mas sempre que dois ou três estejam reunidos em nome de Jesus.

Em nossas Celebrações procuramos compartilhar nossas experiências de Deus e com Deus com outras pessoas.

Sinta-se convidado a estar entre nós!

IGREJA PRA QUE TE QUERO?


Pra que preciso fazer parte de uma igreja? Por que preciso me reunir com outros cristãos para cultuar a Deus? Qual o valor e a importância de cantar para Deus ou orar? O que mais se pode ou deve fazer quando os cristãos estão reunidos para o culto? Será que Deus fica alegre quando cantamos para Ele e triste quando faltamos o culto?

Essas são algumas das perguntas que mais ouço ao longo dos meus dias. Perguntas às vezes sinceras e honestas feitas por gente que precisa de resposta. Outras vezes, perguntas feitas com rancor e ranço por gente que quer justificar suas desilusões pessoais.

Ao longo dos anos tenho procurado responder estas perguntas! Confesso que muitas vezes não consigo. Hora, pelo tamanho dos traumas sofridos pelos interlocutores, hora pela má vontade de outros. De qualquer maneira, algumas das respostas que encontrei estão em seguida.

Penso que a comunidade cristã tem pelo menos 10 boas razões para se reunir em celebração:

- Para derramar o coração na Presença de Deus;
- Para descrever e afirmar o reino de Deus;
- Para mobilizar o povo de Deus na direção do reino de Deus;
- Para ajudar o povo de Deus a celebrar sua experiência no reino de Deus;
- Para ajudar o povo de Deus a enfrentar o anti-reino de Deus;
- Para ajudar o povo de Deus a manter a unidade do Espírito;
- Para celebrar a história com o seu povo como fonte de inspiração para a caminhada do povo de Deus;
- Para manter o foco do povo de Deus na pessoa de Deus;
- Para ensinar, encorajar, consolar e encorajar o povo de Deus;
- Para proclamar o evangelho da graça de Deus.

Grande abraço!

O DESAFIO DA VIDA CRISTÃ ALÉM DOS LIMITES DO CULTO - CLERO - DOMINGO - TEMPLO


Pela vontade de Deus, a cristandade é um povo disperso. Disperso como semente “entre todos os reinos da terra” (Deuteronômio 28.25). O povo de Deus é a semente do Reino de Deus no mundo inteiro.

Cremos que é impossível ser semente do reino dentro do culto, controlado pelo clero, limitado ao domingo dentro de um templo.

Por isso, nossa vida cristã é uma vida diária e, o culto é um momento específico de serviço. Serviço a Deus e ao próximo. Serviço em comunhão e adoração. Para nós o culto é um momento e não o único momento. Este momento é de celebração a vida e a graça – favor imerecido. É momento de comunhão e conexão com Deus e com o próximo. É momento de adoração intencional e espontânea. Enfim, momento de serviço!

Por isso, o ministério é múltiplo e o clero não exerce poder dominador. Não existe entre nós alguém superior “onicompetente”! Há função no corpo, ajudando na edificação deste corpo. Somos iguais diante do Pai, exercendo dons e talentos dados por Ele.

Por isso, o domingo não é “o dia”, mas um dia. Apenas um dia onde a maioria de nós consegue um tempo de descanso, e no meio deste descanso, dedicamos um tempo de serviço ao Senhor. O que fazemos no domingo é uma extensão do que fomos e fizemos durante todos os outros dias da semana.

Por isso, não temos um templo. O mais importante não é o local, mas as pessoas. É lógico que desejamos um bom local. E pela graça do Pai, temos um local “bem legal”! Porém, o foco de nossa energia não está neste local, mas nas pessoas que ali se encontram para o serviço ao Pai.

Desejamos viver assim. Viver além dos limites traçados pela sub-cultura evangélica do culto – clero – domingo - templo.

Desejamos viver intensamente o cristianismo entre nossa família, nossos colegas de serviço e estudo, nossos ambientes de convivência: mercado, hospital, feira livre, oficina, enfim, aonde o Espírito nos conduzir, livres como o vento.

Que venha o Reino!

O ESPIRITUALISTA QUE VIVE EM MIM


Sou um homem da fé, da espiritualidade. Expresso-me assim no mundo. Meu anseio é por realidades transcendentes. Transmitir a espiritualidade é meu ofício e entendo que a tarefa é ajudar as pessoas a perceberem a verdade que lhes habita, que muitas vezes está apenas adormecida. Por isso, a despeito de minha tentação pela originalidade, sei que na obviedade reside a sabedoria.

Fito alguns homens e mulheres que cuidam da espiritualidade no mundo. Sãos pastores do rebanho dessa gente que não importando em qual aprisco habite, busca comida, água, repouso, mesmo sem saber. O que me impressiona nesses homens e mulheres da espiritualidade é que eles nos comunicam paz. Parece que nada os aflige, que estão em um andar de cima. Aliás é por isso que se tornaram um produto comercial em nossos dias, pois da mesma forma que Hollywood vende suas ilusões, nós consumimos os gurus modernos. Eles são grife.

Acontece que depois de meditar, escrever, ensinar, comunicar o transcendente através de palavras eu volto pra casa, para a rotina, com contas pra pagar, filho pra educar, e vejo o quanto estou distante deste mundo transcendente, vivo minhas crises. Será que não sou um charlatão? Pois o que falo é tão sublime e onde meus pés pisam é tão humano!

Mas é assim mesmo. Que espiritualidade tem mais sentido, a de quem vive nos mosteiros, com práticas excêntricas e privativas ou a espiritualidade de quem enfrenta trânsito, mau humor, birra de criança, espelho hostil, solidão, abandono, medo?

Por isso, vou continuar como um homem de fé, comunicando espiritualidade, como um pastor de gentes. Se você me der atenção pode ser que não se surpreenda positivamente, pode ser que não me consuma como uma grife, mas prefiro trilhar a senda humana, desse jeito será mais fácil nos encontrarmos pela vida.

© 2008 Alexandre Robles
IBAB Sorocaba


SEJA BEM VINDO!!


VISITANTES, FREQUENTADORES, MEMBROS & USUÁRIOS


Uma coisa que me incomoda muito é o tal “rol de membros”! A experiência formal de ter seu nome incluído no cadastro da igreja. Algo que não temos aqui na Vineyard Mogi e, se depender sé de mim, nunca teremos!

Por isso, quando olho domingo após domingo para as pessoas que Celebram a Deus comigo, vejo quatro tipos de pessoas:

VISITANTES

Aqueles que estão lá porque atendeu a um convite. Algumas pessoas que buscam sinceramente um encontro com Deus, buscam uma experiência espiritual, buscam se aproximar com sinceridade, buscam relacionamento; buscam aprofundar a conversa sobre o que ouviu de Deus...

Alguns visitam por insatisfação com sua igreja local. E colocam isso diante de Deus com sinceridade. Visando até a possibilidade de uma mudança.

Estes, hoje estão. Amanhã podem não estar! Mas, em estando hoje, são muito bem vindos e abraçados por nossa comunidade. Recebem todo nosso afeto.

FREQUENTADORES

Os que já visitaram tanto que deixaram de ser visitantes! Participam tão ativamente que sentem-se em casa! Não estão com o nome no “rol de membros”, mas participam. Servem e são servidos. Contribuem financeiramente. Doam-se. Dão de si e dão do seu!

MEMBROS

Os que (NÃO) estão com o nome arrolados no cadastro da igreja. Porque como disse, não temos isso! Mas chamam esse lugar de seu! Identificam-se.
Fazem algumas cobranças, dão palpites, participam das decisões...

E por estranho que possa parecer; alguns desses membros se parecem mais visitantes. Porque são de fato EXITANTES com relação ao seu compromisso com Deus, com a igreja local, com as pessoas da comunidade...

Alguns desses, sequer são freqüentadores! Encontramos freqüentadores mais comprometidos que alguns membros. Visitantes mais sinceros que alguns membros...

E isso já explicaria o meu conflito com o “Rol de membros”, e a inesistência dele aqui na Vinha Mogi!

Mas existe uma quarta categoria, que carinhosamente tenho chamado de:

USUÁRIOS

São os interesseiros. Os descomprometidos. Aqueles que não querem assumir vínculos. Não querem vínculo com nenhuma comunidade. Pessoas parecidas com o beija-flor. Vão onde está o açúcar. Onde lhe interessa momentaneamente ficam...

Pessoas que quando lhes convém, pedem meus conselhos! Pedem minha opinião e naquilo que lhes interessa: acatam! Passam por aqui e ouvem nossa adoração.

Enfim... aqueles que querem o “melhor” de todos os mundos e não querem compromisso com nenhum deles!

IMPOSSÍVEL! Vida cristã não é isso.


Isso porque a vida comunitária é muito séria aos olhos de Deus. Aliás, é uma ordem de Deus que vivamos em comunhão, em comunidade, em igreja!

A salvação é pessoal, mas não é individual. Não existe salvo S.A.

E, em compartilhar estas coisas com você, não quero dizer quem é membro da igreja e quem não é.

A única pessoa capaz de avaliar a própria vida e a maneira que o relacionamento se dá com a Igreja é você mesmo!

Então, você é membro da sua igreja local, ou é só usuário?

Related Posts with Thumbnails
 
©2009 Vineyard Café | Mogi das Cruzes - SP | by TNB