PESQUISE EM NOSSOS POSTS

Um evangelho prostituído


Tenho estado muito indignada com relação ao rumo que “igreja” brasileira tem tomado. É impressionante a variedade de coisas que encontro nela, mas creio que falta algo: seria Jesus?

Quando ligo minha televisão e me deparo com um pregador apresentando as vantagens que podem ser adquiridas quando se aceita a Jesus, eu sinto vontade de chorar! Quando eu vejo a deturpação que é feita com o evangelho em meio ao sistema religioso (que insistimos em chamar de igreja) tenho vontade de gritar!

Vivemos em uma crise silenciosa, onde a maioria das pessoas não notam sua existência, ou preferem fingir que não notam. O cristianismo que tem sido pregado hoje é um cristianismo produzido por homens que insistem em apresentar a cruz como um produto que trará benefícios ao seu consumidor. Esse pensamento tem sobrevivido e crescido a cada ano. Cada dia mais e mais pessoas conhecem esse Evangelho deturpado e passam suas vidas acreditando que por irem aos cultos de domingo, serem dizimistas e cumprirem todos os seus ritos religiosos são salvos! E dessa forma, crianças tem crescido achando que Jesus se limita a estas teorias baratas, gerações tem sido enganadas por discursos puramente humanos.

Podemos conceituar inúmeros motivos para a atual situação da igreja: a falta de apóstolos, a falta de temor, a ganância dos homens, etc. Porém, todos eles levam à um mesmo ponto: A igreja de hoje não conhece a Cristo! Não o conhecemos como Ele realmente é, ou não tão profundamente como deveríamos. O conhecemos de ouvir falar ou, muitas vezes, construímos um Deus desejável à nós e que nos trará vantagens (principalmente financeiras).

Será que somente a Cruz não é o suficiente para compreender o que é o evangelho? O evangelho pregado hoje diz que a partir de nossas obras somos merecedores de ter ou não, de possuir ou não. O evangelho do Reino diz que não somos merecedores de nada, que somente pela graça não somos condenados à morte e somente através da graça fomos redimidos.

O Filme “Eu sou a Lenda” ilustra muito bem isso. Um vírus mortal foi liberado no planeta (pecado), todos foram contaminados, porém um homem (Jesus) dá a sua vida para que os infectados pudessem ter a cura. Esse é o evangelho! Não somos nada, estávamos condenados à morte por causa do pecado criado por Satanás, mas Jesus veio, se sujeitou a ter um corpo humano, a viver nessa terra, morreu e pagou o que nós deveríamos pagar! E depois de tantos anos surgem pessoas querendo deturpar essa mensagem, buscando construir um evangelho que tenha a oferecer bênçãos! Será que não se compreende que a benção é Jesus? Será que o que foi feito na Cruz não é o suficiente? A igreja tem seguido mais letra de musica do que a própria Bíblia. O evangelho tem sido prostituído com o que há de mais podre no homem.

“Toda a criação aguarda ansiosa pela manifestação dos filhos de Deus” (Romanos 8:19), mas como os filhos se manifestarão se eles nem conhecem o Pai? A maior parte da igreja não compreende o valor da cruz, e não a possui como a essência do evangelho. Oro a Deus para que nestes dias Ele dê a revelação do calvário à sua igreja. Chega de mentira! Que Venha o teu reino Senhor!

Luzia Gavina
| Vineyard São Gonçalo | RJ

5 comentários:

Por Ele. disse...

Indo no IDE, de verdade, não estamos indo.

E agora?

Quem poderá nos entender?

Eu!

- Você?

Nós?

Heróis faltam os sinais da verdade!

Reginaldo disse...

Concordo que existam distorções mas acho radical demais afirmar apenas com base no que vimos pela TV que "A igreja de hoje não conhece a Cristo!". Me faz lembrar os comentários do Jabor.

Luzia Gavina disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luzia Gavina disse...

"A igreja de hoje não conhece a Cristo! Não o conhecemos como Ele realmente é, OU NÃO TÃO PROFUNDAMENTE COMO DEVERÍAMOS!"
(3º PARÁGRAFO)

Não é apenas pelo o que vejo pela TV, mas pelo que vivo e acompanho a igreja viver. Quando me refiro a igreja, não me excluo disso...

=)

milton paulo disse...

Reginaldo, entendo seu parecer. Mas, é Fato: a mídia faz a média do pensamento coletivo e hegemoniza a coisa. Por exemplo: Quando alguém ouve o vocábulo "evangélico" traz à memória o que ele tem como referência: o evangélico da mídia. Infelizmente, não conseguiremos fugir disso nunca. Por isso, infelizmente também! "A igreja não conhece a Cristo" é a imagem que passamos.

Related Posts with Thumbnails
 
©2009 Vineyard Café | Mogi das Cruzes - SP | by TNB